Na atual invasão da Ucrânia pela Rússia, muito se fala em uma possível “Guerra Total” entre os dois países, algo que para muitos pode se levar a uma Terceira Guerra Mundial. Como a História nos ensina, às vezes um determinado ato pode desencadear uma ação sem precedentes.

O Discurso do Palácio de Esportes de Berlim (em alemão: “Sportpalastrede”) ou o “Discurso da Totaler Krieg” foi um discurso proferido pelo Ministro da Propaganda alemão Joseph Goebbels no Palácio de Esportes de Berlim (“Berlin Sportpalast”) para um grande público cuidadosamente selecionado no dia 18 de fevereiro de 1943, uma quinta-feira, quando a maré da Segunda Guerra Mundial estava virando contra a Alemanha Nazista e seus aliados do Eixo.

É considerado o mais famoso dos discursos de Joseph Goebbels. O discurso foi a primeira admissão pública da liderança nazista de que a Alemanha enfrentava sérios perigos. Goebbels convocou uma Guerra Total (em alemão: Totaler Krieg) para garantir a vitória sobre os Aliados, e exortou o povo alemão a continuar a guerra mesmo que fosse longa e difícil porque – como ele afirmou – tanto a sobrevivência da Alemanha quanto a sobrevivência de um estavam em jogo a Europa não-bolchevista.

ANTECEDENTES

O Ministro da Propaganda do Reich Joseph Goebbels (1897-1945)

Após a derrota do Eixo no final de 1942 na Segunda Batalha de El Alamein no Egito, um ponto de virada da Segunda Guerra Mundial na Europa ocorreu no dia 2 de fevereiro de 1943, quando a Batalha de Stalingrado terminou com a rendição do marechal de campo Friedrich Paulus e do Sexto Exército alemão aos soviéticos. Na Conferência de Casablanca em janeiro, Franklin D. Roosevelt e Winston Churchill exigiram a rendição incondicional da Alemanha, e os soviéticos, encorajados por sua grande vitória, estavam começando a retomar territórios, incluindo Kursk (8 de fevereiro), Rostov-on-Don (14 de fevereiro) e Kharkiv (16 de fevereiro). Após as derrotas do Eixo no Egito e a subsequente perda de Trípoli (23 de janeiro de 1943), os reveses russos abalaram o moral do Eixo. No Pacífico, os americanos haviam acabado de completar sua reconquista de Guadalcanal, que durou meses.

O Führer Adolf Hitler respondeu com as primeiras medidas que levariam à mobilização total da Alemanha. Antes do discurso, o governo fechou restaurantes, clubes, bares, teatros e lojas de luxo em todo o país para que a população civil pudesse contribuir mais para a guerra. Além disso, a produção de carros e bens de consumo foram geladeiras e fogões, por exemplo, foram interrompidas e as fábricas desses produtos iriam se adaptar para a produção de material bélico.

CONFIGURAÇÃO E AUDIÊNCIA

Uma grande multidão, selecionada pelo Partido Nazista, compareceu ao discurso de Goebbels

O cenário do discurso no Sportpalast colocou o público atrás e sob uma grande faixa com as palavras em letras maiúsculas “TOTALER KRIEG – KÜRZESTER KRIEG” (“GUERRA TOTAL – GUERRA MAIS CURTA”), juntamente com faixas e suásticas nazistas, como visto em fotos e filmes do evento, divulgados exaustivamente em diversos documentários sobre a Segunda Guerra Mundial.

Embora Goebbels afirmasse que o público incluía pessoas de “todas as classes e ocupações” (incluindo “soldados, médicos, cientistas, artistas, engenheiros e arquitetos, professores, burocratas”), o propagandista havia selecionado cuidadosamente seus ouvintes para reagir com o fanatismo apropriado. Goebbels disse a Albert Speer que era o público mais bem treinado que se poderia encontrar na Alemanha. No entanto, a resposta entusiástica e unificada da multidão registrada na versão escrita às vezes não é totalmente apoiada pela gravação.

DETALHES

Goebbels reiterou três temas no discurso:

  1. Se a Wehrmacht (Forças Armadas Alemãs) não estivessem em posição de combater o perigo da Frente Oriental, o Reich alemão cairia para o bolchevismo e o resto da Europa pouco depois;
  2. Somente a Wehrmacht, o povo alemão e as Potências do Eixo tiveram força para salvar a Europa dessa ameaça;
  3. O perigo estava próximo, e a Alemanha teve que agir rápida e decisivamente.

No discurso, Goebbels elaborou detalhadamente o que a propaganda nazista afirmava ser a ameaça representada pelo chamado Judaísmo Internacional: “O objetivo do bolchevismo é a revolução mundial judaica. Eles querem trazer o caos ao Reich e à Europa, usando a desesperança e o desespero resultantes para estabelecer sua tirania capitalista internacional, oculta pelos bolchevistas”. Rejeitando os protestos das nações inimigas contra as políticas judaicas do Reich, ele afirmou, sob gritos ensurdecedores da platéia, que a Alemanha “pretende tomar as medidas mais radicais, se necessário, em tempo útil.”

Enquanto Goebbels se referiu à mobilização soviética em todo o país como “diabólica”, ele explicou que “não podemos superar o perigo bolchevique a menos que usemos métodos equivalentes, embora não idênticos, [em uma] guerra total”. Ele então justificou as medidas de austeridade decretadas, explicando-as como medidas temporárias.

Historicamente, o discurso é importante na medida em que marca a primeira admissão pública da direção do Partido Nazista de que enfrentava problemas e lançou a campanha de mobilização que, sem dúvida, prolongou a guerra, sob o lema: “E tempestade, solte!” (Und Sturm, brich los!). Goebbels afirmou que nenhum alemão estava pensando em qualquer compromisso e, em vez disso, que “toda a nação está apenas pensando em uma guerra dura”.

Goebbels tentou contrariar os relatos da imprensa aliada de que os civis alemães haviam perdido a fé na vitória, fazendo ao público uma série de perguntas no final, como:

“Você acredita com o Führer e conosco na vitória final total do povo alemão? Você e o povo alemão estão dispostos a trabalhar, se o Führer ordenar, 10, 12 e se necessário 14 horas por dia e dar tudo pela vitória? Você quer guerra total? Se necessário, você quer uma guerra mais total e radical do que qualquer coisa que possamos imaginar hoje?”

A versão oral gravada do discurso diferiu em alguns aspectos do registro escrito. Especialmente significativo é que no registro oral (vs. escrito) do discurso, Goebbels realmente começa a mencionar a “erradicação” dos judeus, em vez dos termos menos duros usados ​​na versão escrita para descrever a “solução”, mas pega ele mesmo no meio da palavra.

Goebbels discursando no Palácio de Esportes de Berlim

PRINCIPAIS FRASES

Original em alemão:
“- Deutschland jedenfalls hat nicht die Absicht, sich dieser jüdischen Bedrohung zu beugen, sondern vielmehr die, ihr rechtzeitig, wenn nötig unter vollkommen und radikalster Ausr… -schaltung [Ausrottung / Ausschaltung] des Judentums entgegenzutreten.”

[…]

“- Ich frage euch: Wollt ihr den totalen Krieg?! – Ja!!! – Wollt ihr ihn, wenn nötig, totaler und radikaler, als wir ihn uns heute überhaupt erst vorstellen können?!”

[…]

“- Nun, Volk, steh auf, und Sturm, brich los!”

Tradução:

“- A Alemanha, em todo caso, não tem intenção de se curvar a essa ameaça judaica, mas sim de enfrentá-la no devido tempo, se necessário em termos de erradicação completa e mais radical… supressão [“corte”] do Judaísmo.”

[…]

“- Eu lhe pergunto: você quer a guerra total?! – Sim!!! – Você quer, se necessário, mais total e radical do que qualquer coisa que ainda hoje podemos conceber?!”

[…]

“- Agora, pessoal, levantem-se, e ataquem, soltem-se!”

A última linha originou-se no poema Männer und Buben (Homens e Meninos) de Carl Theodor Körner durante as Guerras Napoleônicas. As palavras de Körner foram citadas por Adolf Hitler em seu discurso de 1920 “O que queremos” proferido no Hofbräuhaus de Munique, mas também pelo próprio Goebbels em discursos mais antigos, incluindo seu discurso de campanha no dia 6 de julho de 1932 antes que os nazistas tomassem o poder na Alemanha.

Em relação à palavra “Ausschaltung” há uma pequena pausa quando Goebbels diz “Aussr…”. Ausschaltung significa eliminação, o que se encaixa no contexto do discurso.

RECEPÇÃO

Milhões de alemães ouviram Goebbels no rádio enquanto ele fazia este discurso sobre o “infortúnio das últimas semanas” e uma “imagem sem verniz da situação”. Ao acumular tal entusiasmo popular, Goebbels queria convencer Hitler a dar-lhe maiores poderes na condução da economia de guerra. Hitler, no entanto, ainda não estava pronto para levar a economia a um estado de guerra total contra as objeções de seus ministros. No dia 23 de julho de 1944, Goebbels foi finalmente nomeado Plenipotenciário do Reich para a Guerra Total, responsável por maximizar a mão de obra da Wehrmacht e da indústria de armamentos às custas de setores da economia não essenciais ao esforço de guerra.

O discurso também levou à disseminação de uma piada do final da guerra, popular na Alemanha Ocidental, especialmente no Ruhr:

Lieber Tommy fliege weiter,
wir sind alle Bergarbeiter.
Fliege weiter nach Berlin,
da ham’ se alle Ja geschrien.

Caro Tommy, voe mais longe
somos todos mineiros aqui.
Voe mais para Berlim
lá todos eles gritaram sim.

LEGADO

O Palácio de Esportes de Berlim destruído ao final da Segunda Guerra Mundial, em 1945.

Joseph Goebbels acabou cometendo suicídio ao final da Segunda Guerra Mundial, no dia 1º de maio de 1945, um dia após o suicídio de Adolf Hitler. Já o Palácio de Esportes de Berlim. pesadamente danificado durante os bombardeios dos Aliados a cidade, passou por uma reforma após a guerra, foi reaberto na década de 1950, sediando diversos shows e eventos na dividida Berlim Ocidental, mas por razões econômicas, foi fechado e demolido em 1973.

A entrada do Palácio de Esportes de Berlim em 1958.

O trecho do discurso de Joseph Goebbels no Sportpalast, no dia 18 de fevereiro de 1943, está aos 29:25 minutos do vídeo abaixo, o Episódio 05 (“O Dia D”) da série “Redescobrindo a Segunda Guerra Mundial” do canal National Geographic (OBS: É necessário fazer login no YouTube, por causa da restrição de idade).

NOTA DO CANAL MILITARIZANDO: O discurso de Goebbels fez com que a Alemanha finalmente se mobilizasse completamente para a guerra. A produção industrial alemã em 1944, mesmo com a falta de matérias primas, bateu recordes de produção. O desenvolvimento tecnológico alemão avançou bastante, pois nessa época começaram a surgir várias inovações tecnológicas, como bombas voadoras como a V-1, mísseis balísticos como o V-2, caças a reação como o Messerchmitt Me 262, bombardeiros a reação como o Arado Ar 234, o primeiro fuzil de assalto como o StG 44, tanques como o Tiger I e II, dentre outros. Mesmo assim, era tarde demais para a Alemanha Nazista reverter sua situação na guerra.

IMAGEM DE CAPA: O ministro da propaganda do Reich, Joseph Goebbels, discursando no dia 18 de fevereiro de 1943, no Palácio de Esportes de Berlim.

FONTES: Com informações da Wikipédia, do canal National Geographic e do Canal Militarizando.