A guerra em andamento na Ucrânia é uma fonte quase ilimitada de imagens, muitas delas de qualidade amadora, mas que já revelam bastante coisa interessante aos estudiosos de assuntos militares.

Hoje, 10/03/2022, no Instagram do Canal Militarizando, foi publicado o vídeo abaixo:

Observe-se a descrição do vídeo – inicialmente se suspeitou que é um Su-34, o principal vetor de ataque ao solo das VKS (Forças Aeroespaciais da Federação Russa), mas há pessoas alegando que se trata de um Su-57, que no momento se encontra em pré-série, ou seja, ainda não é o modelo final de produção mas também não é protótipo.

Caso realmente seja um Su-57, seria a primeira vez que a aeronave estaria em operação fora da Síria, para onde foram enviados dois protótipos. E seria também o batismo de fogo do modelo de pré-série.

Embora a qualidade do vídeo não seja das melhores, peço ao leitor que veja o vídeo com atenção, e tente pausar quando a aeronave aparece inteira no frame.

Fizemos isso abaixo. Pedimos desculpas pela péssima qualidade da imagem, mas o vídeo original já está em baixa qualidade.

Frame do vídeo do Instagram do Canal Militarizando

Mesmo que a qualidade seja inadequada, pode-se tentar observar algumas características da aeronave, tendo em mente que tais análises são preliminares, e podem mudar caso mais informações apareçam.

Vamos colocar fotos das duas aeronaves para facilitar a comparação.

Sukhoi Su-57 Felon

Observe-se como as asas e os profundores são bastante próximos, as aletas canard quase não são visíveis em certas condições (mesmo numa foto de excelente qualidade), e o “ferrão” de cauda é relativamente curto.

Sukhoi Su-34 Fullback

Observe-se como há uma distância bem maior entre as asas e os profundores de cauda comparado ao Su-57, como os canards (embora relativamente pequenos) são claramente visíveis, e como o “ferrão” de cauda é bem mais longo que no Su-57.

Este articulista é da opinião – novamente, com a ressalva da baixa qualidade das imagens – que a aeronave do vídeo se parece mais com o Su-57 que com o Su-34, pelas características citadas acima – as asas e os profundores são bastante próximos, as aletas canard quase não são visíveis, e o “ferrão” de cauda é relativamente curto.

Ou seja, desta vez parece que as suspeitas de algumas pessoas está correta, e o Su-57 está sendo usado na invasão da Ucrânia.

Esta decisão pelas VKS é importante. Como apontado pelos nossos articulistas Renato Marçal e Ricardo Barbosa, as VKS estavam tendo um impacto menor que o esperado no conflito, sendo que uma das possíveis causas é o uso relativamente moderado de PGM (“armas inteligentes”, munições guiadas de precisão) pelos russos.

Com uma disponibilidade reduzida de PGM, as VKS estavam realizando boa parte dos ataques com munições “burras” (não guiadas), exigindo voos a altitudes mais reduzidas (como no vídeo), colocando as aeronaves ao alcance dos mortíferos MANPADS (sistemas portáteis de defesa antiaérea), como os Stinger americanos e Piorun poloneses, além dos onipresentes Igla russos.

Segundo o site Oryx, pelo menos 10 aeronaves russas foram abatidas no conflito, e suspeita-se que vários destes abates ocorreram justamente em função dos MANPADS, portanto é no mínimo curioso que as VKS coloquem em tamanho risco seu caça mais novo, que nem entrou em produção seriada ainda, especialmente numa função que o Su-34 já cumpre com grande eficiência.