Nascido na cidade de Viipuri, Finlândia, no dia 28 de maio de 1919, Lauri Alan Törni foi um dos mais notáveis soldados da sua geração, lutando em três exércitos diferentes na Segunda Guerra Mundial e na Guerra do Vietnã.

Quando a União Soviética invadiu a Finlândia durante a Guerra de Inverno, no dia 30 de novembro de 1939, Lauri, aos 20 anos de idade, completou a Escola de Economia e logo após isso se alistou ao Exército Finlandês, estando na linha de frente contra os soviéticos.

Lauri teve uma performance excepcional e logo foi promovido a Segundo-Tenente, com alguns oficias elogiavam a capacidade de Lauri em atirar e esquiar na neve finlandesa, um dos fatores que dificultaram a invasão russa a Finlândia foi a neve. Haviam batalhões finlandeses especializados em atirar enquanto esquiavam, dificultando o esforço russo e a aumentando a mobilidade do Exército Finlandês.

O então Segundo-Tenente Lauri Törne, no centro, durante uma patrulha do Exército Finlandês na guerra contra a URSS, 1942.

Após isso, o agora Primeiro-Tenente Lauri foi enviado para Viena por sete semanas para treinar com oficiais da Waffen-SS alemã e aprender técnicas modernas de combate. Grande parte da fama de Törni se deu durante a Guerra de Continuação (1944), onde liderou um esquadrão não-oficial de soldados e penetrava nas linhas de frente russas, usando a mobilidade dos esquis. Lauri se tornou uma lenda na Finlândia e inimigo público da União Soviética.

O estrago feito pela unidade de Törni foi tamanho que os soviéticos ofereceram três milhões de marcos finlandeses pela sua cabeça. Por seus serviços foi condecorado com a Cruz da Liberdade finlandesa em 9 de julho de 1944.

O sorridente Primeiro-Tenente Törni ao lado de um oficial da Waffen-SS num treinamento na Alemanha em 1944. Logo se juntaria a eles.

Após o Armistício de Moscou em setembro de 1944, Lauri foi dispensado do exército e voltou para a Alemanha para um treinamento em sabotagem. O treinamento terminou em março, e Larry acabou ficando preso na Alemanha, e se alistando na Waffen-SS, com o posto de SS-Hauptsturmführer (Capitão), pra lutar contra tropas russas, onde lutou bravamente contra eles na região de Schwerin, Alemanha, mas com o fim da guerra fugiu para o Oeste para evitar ser capturado pelos russos, se rendendo para forças britânicas.

Lauri escapou do campo de prisioneiros de guerra na Alemanha em Lübeck, em 1945. Após isso Allan tentou se reencontrar com a família, mas foi preso pela Vaspo, policia do estado finlandês, e escapou por uma segunda vez, só pra ser preso no mesmo ano. Em outubro de 1947 allan foi condenado a 6 anos de prisão por traição, devido a se juntar ao exercito alemão, que declaro guerra a Finlândia. Coisas estupidas como prisões não paravam allan thorne, que escapou por uma terceira vez, e foi recapturado, mas perdoado em 1948.

A década de 1950 foi muito agitada para Lauren, que se tornou amante de uma rica baronesa em Estocolmo, se apaixonou por uma sueca-finlandesa, viajou da Suécia até a Venezuela no navio “SS Bolívia”, onde encontrou um dos seus velhos amigos de guerra e, finalmente, partiu para os Estados Unidos.

O Capitão Thorne (a direita) e seus companheiros Boinas Verdes durante uma patrulha no Vietnã do Sul durante a Guerra do Vietnã.

Lauri se alistou no Exército dos Estados Unidos (US Army), sendo designado para as Forças Especiais (“Boinas Verdes”), com apoio de oficias etnicamente finlandeses. Nos EUA Lauri, que adotou o nome americanizado de “Larry Alan Thorne”, ensinava técnicas de guerrilhas, esqui, e participou de missões de espionagem de campo na Alemanha Oriental, ganhando uma grande reputação. Em 1963, já promovido a Capitão, Larry foi enviado ao Vietnã para ser um consultor do Exército do Vietnã do Sul e participando dos primeiros estágios da Guerra do Vietnã.

Tragicamente, no dia 18 de outubro de 1965 Larry, com 46 anos, desaparece após um combate entre seu esquadrão e as forças dos Vietcongs, quando o helicóptero que o transportava caiu, devido ao meu tempo, em uma área montanhosa do distrito de Phuroc Son, província de Quang Nam, Vietnã do Sul. Os restos mortais de Larry foram encontrados por uma expedição finlandesa em 1999 e em 2003 Larry foi enterrado nos Estados Unidos no mesmo ano. Postumamente ele foi promovido ao posto de Major.

O túmulo de Larry Alan Thorne e seus companheiros sul-vietnamitas situado no Cemitério Nacional de Arlington, nos Estados Unidos.

Larry foi uma figura que nasceu para a guerra e também foi um ferrenho anticomunista, pois Larry sempre esteve lutando contra forças de ideologia socialistas ou comunistas, ainda assim, Lauri Allan Törni (Larry Alan Thorne) não foi apenas um soldado, foi um sobrevivente.

Descanse em paz.

Medalhas e condecorações recebidas por Lauri Törni (Larry Thorne) durante sua carreira militar por três exércitos diferentes, dentre as quais podemos destacar a Cruz de Ferro de 2ª Classe (Alemanha Nazista), a Bronze Star (EUA) e a Cruz da Liberdade (Finlândia).
O então Tenente Lauri Törni, do Exército Finlandês, no início da década de 1940.
O então SS-Untersturmführer (Tenente) Lauri Törni, Waffen-SS, Alemanha, meados de 1944.
O Capitão Larry Alan Thorne, Exército dos Estados Unidos, década de 1960.

IMAGEM DE CAPA: O capitão Larry Thorne, do Exército dos EUA, fotografado durante uma pausa de treinamento de esqui nas montanhas norte-americanas, antes de ser enviado para o Vietnã.

FONTE: Historiando, via Facebook do Canal Militarizando.