Nasceu no dia 11 de fevereiro de 1920 na segregada Pensacola, Flórida, perto da Base Aérea Naval de Pensacola. Na adolescência, ele apontou para um avião voando acima de sua casa e disse que um dia iria voar. Seus amigos rapidamente o lembraram de sua única deficiência: ele era negro. Chappie nunca permitiu que o racismo interferisse em seu caminho, entretanto. Ele sabia que um dia ele iria voar.

Em 1937, ele frequentou o Instituto Tuskegee, no Alabama, e rapidamente se tornou conhecido como atleta e líder do campus. Quando a Segunda Guerra Mundial estourou, o instituto patrocinou um programa de treinamento de voo que deu a Chappie a oportunidade de realizar seu sonho de voar. Em julho de 1943, ele ganhou sua comissão como segundo-tenente e se tornou um dos famosos aviadores de Tuskegee, os primeiros pilotos negros da então Força Aérea do Exército dos Estados Unidos (USAAF).

Sua primeira missão foi para o 477º Grupo de Bombardeio de Selfridge Field para treinar no bombardeiro médio North American B-25 Mitchell. Sua unidade era completamente segregada e os homens, muitos deles veteranos de combate recém-chegados dos campos de batalha europeus, se ressentiam dessas disposições. A unidade mudou-se para o Campo Freeman em Indiana, onde ocorreu um incidente que chamou a atenção nacional. Um grupo de oficiais afro-americanos foi para um clube de oficiais brancos e, posteriormente, foi preso e acusado de motim e desobediência a ordens. Mais de cem militares negros, incluindo o tenente James, foram sob custódia após se recusarem a assinar uma diretiva que legitimou instalações separadas para oficiais negros e brancos.

O tenente James agiu como um mensageiro entre os aviadores presos e o mundo exterior durante este incidente. Ele trabalhou com William T. Coleman, um futuro Secretário de Transporte, e Coleman Young, o futuro Prefeito de Detroit. O advogado deles era o futuro juiz da Suprema Corte Thurgood Marshall. As negociações resultantes levaram o Secretário da Guerra Henry Stimson a declarar que a separação de militares não poderia mais ser baseada na raça no uso das instalações, incluindo clubes de oficiais. Foi uma grande vitória para a igualdade afro-americana.

O então tenente Daniel “Chappie” Janes Junior em frente de seu North American F-51 Mustang durante a Guerra da Coreia.

Em 1949, Chappie estava estacionado na Base Aérea de Clarke nas Filipinas, já como oficial da Força Aérea dos Estados Unidos (USAF). Ele recebeu a Distinguished Flying Cross por bravura quando ele e um outro piloto sobreviverem a um incêndio em um Lockheed T-33 de treinamento após um pouso forçado. O acidente deixou o piloto do banco da frente inconsciente e Chappie teve que bater com as costas no velame para quebrá-lo. Ele resgatou o outro piloto pouco antes do avião explodir em chamas. Depois de se recuperar no hospital, Chappie foi enviado para a Coreia, onde voou 101 missões de combate nas aeronaves North American P/F-51 Mustang e Lochkeed F-80 Shooting Star. Ele foi condecorado com outra Distinguished Flying Cross em 1950 por liderar um voo de F-51 em uma missão de apoio aéreo aproximado em apoio às tropas da ONU. Seu heroísmo durante esta missão salvou os soldados americanos da aniquilação.

Após a Guerra da Coreia, James subiu rapidamente na classificação, obtendo posto de major em 1952 e tenente-coronel em 1956. O setor civil também estava começando a reconhecer suas notáveis qualidades pessoais. Sua liderança e discurso público entre os jovens da área da Base da Força Aérea de Otis ajudaram-no a ser eleito o “Jovem do Ano” pela Câmara de Comércio de Massachusetts em 1954. Em junho de 1967, o coronel James Jr. tornou-se o subcomandante da 8ª Ala de Caças Táticos na Tailândia, o famoso esquadrão de caças de McDonnell Douglas F-4C Phantom II, sob o comando do lendário coronel Robin Olds. Chappie voou em 78 missões de combate sobre o Vietnã do Norte, durante a Guerra do Vietnã.

Os coronéis Daniel “Chappie” James Jr. e Robin Olds, comemorando o sucesso da Operação Bolo, após o pouso na Tailândia.

Ele também participou da “Operação Bolo” em que sete caças de origem soviética Mikoyan-Guerevich MiG-21 norte-vietnamitas foram destruídos, a maior morte total de MiGs de qualquer missão durante a guerra. Em março de 1970, James foi promovido a general de brigada e tornou-se vice-secretário adjunto de Defesa (Assuntos Públicos). Ele desempenhou um papel fundamental ao rejeitar a precisão de uma lista de prisioneiros de guerra fornecida pelo Vietnã do Norte, apesar do amplo acordo dentro do governo dos EUA de que estava de acordo com as estimativas da inteligência. Essa rejeição, por sua vez, reforçou o mito politicamente explosivo de que os comunistas estavam deliberadamente mantendo prisioneiros como reféns para alguma influência futura.

Foi o primeiro militar negro a se tornar general de quatro estrelas na História dos Estados Unidos, em 1º de setembro de 1975. Chappie faleceu no dia 25 de fevereiro de 1978, aos 58 anos, logo depois de se retirar da USAF por problemas de saúde.

O general Daniel “Chappie”James Junior recebe sua quarta estrela no dia 1º de setembro de 1975 de seu filho, o então tenente Daniel James III (que chegou a Tenente-General da USAF) e sua esposa, Dorothy James.

Sobre a “Operação Bolo”, acesse: “VIRANDO A MESA NO VIETNÃ: A OPERAÇÃO BOLO”

IMAGEM DE CAPA: O então coronel Daniel “Chappie” James Junior posa em frente ao seu McDonnel Douglas F-4C Phantom II durante a Guerra do Vietnã.

FONTES: Wikipédia, site GBN News e Facebook do Canal Militarizando.